Estudante deficiente visual e com Síndrome rara se torna advogada

Foto: Arquivo Pessoal

Renata, moradora de Teresina, Piauí, apesar de ser deficiente visual e possuir Síndrome Mucopolissacaridose tipo VI (doença rara), se formou em direito em 2018.

E para chegar ao seu objetivo teve que enfrentar várias barreiras. Um dos desafios foi ler muitas Leis e códigos exigidos pelo curso, o outro, foi se locomover em vários ambientes. A estudante gravava as aulas em áudio para facilitar o estudo.

A mãe foi uma pessoa muito importante na qualificação de Renata. Ela lia os livros e outras matérias para a filha, além de acompanhá-la nas revisões na faculdade.

Renata tirava as melhores notas em sala de aula e quando fez o TCC tirou nota máxima.

Seu esforço foi coroado com êxito quando foi aprovada no exame da OAB.

Fonte: razoesparaacreditar

Compartilhar