Mães a partir dos 30 anos têm filhos mais inteligentes, diz pesquisa

Para muitas mães (a grande maioria) atrasar a maternidade é uma obrigação, mas agora um estudo acaba de revelar que pode ter consequências muito positivas.

Ter um bebê aos vinte anos tem algumas vantagens, nessa idade o corpo se recupera mais rápido, a mulher tem mais energia para cuidar dele e, quando tiver 40 anos, seu filho será maior de idade; No entanto, a ciência acaba de revelar que é melhor ter filhos aos 30 anos, porque o bebê nasce mais inteligente e saudável.Two Boys and Woman Surrounded Green Plants

O que a ciência diz:

De acordo com esta pesquisa, bebês com mães com 30 anos ou mais tiveram escores cognitivos e comportamentais mais elevados que as demais.

Além disso, o estudo também mostrou que as mães que deram à luz aos 40 anos, tiveram bebês com aumento significativo do risco de obesidade, porque elas brincavam menos com eles.

A pesquisadora Alice Goisis disse que ” os bebês de mães nos seus 30 anos, tendem a ser mais educados, têm rendimentos mais elevados, são mais propensos a ter relacionamentos estáveis, tem estilos de vida mais saudáveis.”

Children Playing on Inflatable Castle

O impacto da idade da mãe, 30 anos, é positivo no desenvolvimento da criança por muitas razões, como as seguintes:

– Mães de 30 ou mais anos geralmente têm uma melhor formação acadêmica ou, pelo menos, estão concluindo sua formação.

– Em um nível biológico, as mulheres na casa dos trinta têm um estilo de vida mais saudável do que as mulheres mais jovens. Elas têm uma vida mais diurna, se cuidam mais, pararam de fumar, bebem menos.

– Aos 30 anos a maternidade é geralmente planejada e, referindo-se ao ponto anterior, a maioria se preparou fisicamente para receber seu bebê.

– Além disso, elas têm toda a energia para brincar com seus filhos e mais paciência para participar de atividades educativas com eles.

– E, finalmente, muitas dessas mães estão em um bom momento profissional, portanto, sua renda é maior do que a daquelas que são mais jovens.

Você concorda com este estudo?

Compartilhar