Cloreto de magnésio o Sal da Vida

 

O cloreto de magnésio suplementam os minerais no corpo. “Existem vários outros sais de magnésio, como sulfato, glutamato, citrato etc., mas a presença do cloro estimularia melhor a absorção”, ensina o médico nutrólogo Milton Mizumoto, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran). Outra vantagem está no preço e acessibilidade desse item. Para a nutricionista funcional e clínica Daniela Jobst (SP), esse composto é uma forma barata e eficaz de ingerir o magnésio e beneficiar a saúde.

Esse elemento químico é multiuso dentro de nosso organismo. Ao todo, estima-se que participa de 300 reações bioquímicas dentro de nós. “Ele ajuda a manter a massa muscular normal, a função dos nervos e o ritmo cardíaco regular, suporta um sistema imunológico saudável e mantém os ossos fortes”, resume a nutricionista Cláudia Talan Marin, especialista em Nutrigenômica e Câncer e em Emagrecimento e Metabolismo no Esporte (SP).

Entre as suas funções, está, por exemplo, a síntese do nosso material genético, o DNA e o RNA, que determinam a produção de proteínas no nosso corpo. Ao participar desse processo, também garante que as informações genéticas sejam passadas corretamente na divisão e multiplicação das células. “Ainda ajuda na deposição de cálcio nos ossos, mas também compete com este em vários sítios, contribuindo em especial para as células musculares e do sistema nervoso”, ensina Alex Botsaris, clínico geral e estudioso sobre plantas medicinais (SP). Uma das provas de sua influência no sistema locomotor está na aplicação do sulfato de magnésio como hipotensor e relaxante muscular na préeclâmpsia.

.As quantidades recomendadas de ingestão do nutriente aumentam ao longo da vida. Dos seis meses aos 13 anos de idade, eleva-se de 30 para 240 mg por dia. Na adolescência, iniciam-se as diferenças de gênero: 360 mg diários para as mulheres e 410 mg para os homens. “É difícil conhecer a quantidade de magnésio do organismo humano. Os testes comuns de sangue não mostram a distribuição nem a concentração real e muitos acreditam que os níveis orgânicos de magnésio são sempre satisfatórios”, explica a farmacêutica Anelise Taleb, consultora técnica da Tave Manipulação (SP). Quando a queda acontece, o corpo manifesta carência em diversos sintomas, como fechamento na garganta, bloqueio da respiração, tremores, cefaleia, vertigem, fadigas matinais, insônia e câimbras, lista Mizumoto. E diabéticos e hipertensos têm menor quantidade do mineral.

Normalmente, tudo que conseguimos desse mineral vem da alimentação. “Pode ser encontrado em frutas, como abacate e banana, em verduras, como espinafre, couve e quiabo, em grãos, como cevada, granola, arroz integral, farelo de milho, cevada, gérmen de trigo, aveia em grãos inteiros, em sementes, como nozes, de abóbora e gergelim, e em itens como leite, melaço, mandioca, camarão, lentilhas etc.”, lista a nutricionista Nicole Trevisan, da ADJ Diabetes Brasil (SP).

Relação alimentos que contém cloreto e suas respectivas quantidades para uso:

Linhaça – 347 mg – 1 xícara de chá

Farinha de soja – 242 mg – 1 e 1/3 xícara de chá

Feijão carioca – 210 mg – 6 colheres de sopa

Amendoim 171 mg – 10 colheres de sopa

Café torrado – 165 mg – 1 xícara

Noz – 153 mg – 20 unidades

Grão-de-bico – 146 mg – 4,5 colheres de sopa

Espinafre – 123 mg – 4 colheres de sopa

Farinha de centeio integral – 120 mg – 6,5 colheres de sopa

Flocos de aveia – 119 mg – 10 colheres de sopa

Arroz integral – 110 mg – 4 colheres de sopa

Chocolate meio amargo – 107 mg – 2 unidades pequenas

Lentilha – 94 mg – 5,5 colheres de sopa

Pipoca sem sal – 91 mg – 6,5 xícaras

Açúcar mascavo – 80 mg – 10 colheres de sopa

COMO PREPARAR A ÁGUA DE CLORETO DE MAGNÉSIO:
Use uma água pura, sem cloro e, se possível, também sem flúor.
Dissolva numa jarra 33 gramas de cloreto de magnésio em 1 litro de água filtrada.
Depois de bem misturado, colocar em uma jarra de vidro (não use recipiente de plástico).
A dose é de um copinho de café, conforme a idade (ver tabela acima).

Contra indicações
O cloreto de magnésio é contraindicado em casos de diarreia e de insuficiência renal.
E o uso exagerado (grandes doses) pode causar náuseas, vômitos, diarreia e desconforto abdominal.
Para um consumo mais seguro do cloreto de magnésio, consulte seu médico antes.

 

 

Obs: Este site fala sobre tratamentos alternativos. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

 

 

Compartilhar