Zoológico na Argentina droga os animais para que os visitantes possam tirar selfies com eles

O zoológico privado de Luján, situado  na província de Buenos Aires, na Argentina, foi denunciado por entidades protetoras dos animais. Eles mantinham os animais dopados por mais de 8 horas para que as pessoas pudessem tirar selfies.

Os funcionários permitiam que as pessoas acariciem os animais, tais como: tigres, leões, elefantes e outros animais considerados selvagens.

O que se sabe, é que desde o ano 1994, o zoológico não recebe incentivos do governo, diferente de outros países.

Uma organização da Argentina de proteção aos animais, Animalista Independiente, informou que é não é comum que os animais fiquem dopados por mais de 8 horas.

“É um segredo aberto que os animais são dopados. Exigimos que o que acontece naquele zoológico seja investigado, que a lei seja aplicada, que o acesso das pessoas às jaulas seja fechado e que os animais sejam reposicionados em santuários”, disse um dos membros da entidade.

Foram recolhidas várias assinaturas para que as autoridades tomem as devidas providências.

Segundo a imprensa local, os funcionários afirmam que os animais não são dopados e que não têm necessidade de fazerem isso, já que os mesmos, não mais apresentam uma condição selvagem.

O que você achou desse caso? Gostaríamos de saber sua opinião!

Leia mais:

+ Uma estudante perdeu a vida congelada porque o motorista a expulsou do ônibus

+ Bebê que nasceu pesando 268 g e considerado o “menor bebê do mundo”, recebeu alta

+ Morador de rua para sobreviver faz tricô e crochê com agulhas feitas por ele mesmo

Compartilhar